A postura de ++: a chave para acordos em conjunto!

Por o 7 Fevereiro 2018

Recordando a Análise Transacional, a posição de vida + + convida-nos a ter um olhar positivo para com os outros e para com nós mesmos, a fim de manter relacionamentos harmoniosos e frutíferos. Este desafio mais fácil de dizer do que implementar em caso de dificuldade ou tensão! A nossa primeira tendência é retomar uma atitude + + quando o stress nos faz alternar entre comportamentos ineficazes. Mas o nosso maior desafio é incorporar a atitude + + de forma permanente.

 

1. Faça um diagnóstico com a ajuda das posições de vida

Eric Berne, fundador da Análise Transacional, definiu 4 posições de vida em torno de dois eixos:

  • O que penso de mim mesmo num momento T
  • O que eu penso do outro no mesmo momento T

Claro, o que eu penso de mim e do outro pode flutuar de um momento para outro e posso, num piscar de olhos, passar de um quadrante para outro da matriz de posições de vida.

Quando surgem problemas, corremos o risco de mudar espontaneamente para posturas de dominação (+ -) ou submissão (- +) e ainda de desencorajamento e renúncia (- -). Aqui ficam alguns exemplos de pensamentos que podem ocorrer depois:

  • Numa posição de vida (+ -): “Eu sou mais competente do que ele”; “Ele não entendeu nada”; “Viu como ele falou comigo? “; “Ele não tem respeito pelos valores nem pelo trabalho bem feito”; “Eu sou mais forte”; “Ele verá, ele verá!”; “O meu pedido é mais urgente”; “O meu problema é mais importante”.
  • Numa posição de vida (- +): “Não me atrevo a contradizê-lo”; “Eu não posso fazer isto” “Ele deve estar certo”; “Não vou incomodá-lo com os meus problemas”; “Ele certamente tem algo melhor para fazer”; “Não o vou incomodar”.
  • Numa posição de vida (- -): “Ele é teimoso, nunca conseguirei convencê-lo”. “É inútil, está perdido”.

 

2. Voltar à posição de vida + +

Quanto mais cedo reagirmos, menos esforço temos de fazer para restaurar a situação antes que o problema se agudize. Se pudermos antecipar e prepararmo-nos mentalmente, por exemplo, antes de uma entrevista, tanto melhor. A forma como comunicamos depende dos nossos pensamentos: os nossos olhos, o nosso rosto, falam por nós. Os nossos pensamentos influenciam inconscientemente a escolha das nossas palavras. A comunicação numa atitude (+ +) deve demonstrar sinceridade. Para isso, primeiro devemos estar convencidos da nossa própria legitimidade e da do nosso interlocutor.

Vá de (- +) para (+ +): indo para o norte!

Há uma série de argumentos que podemos listar para recuperar a confiança em nós mesmos:

  • O meu pedido é legítimo porque…
  • A minha necessidade é importante porque…
  • As minhas restrições são…
  • É assim que eu me sinto sobre a situação e o que causa esse sentimento é…

Mude de (+ -) para (+ +): indo para o leste!

Para esta viagem é necessário ver a situação do ponto de vista do interlocutor, de forma a colocar-se no seu lugar.

  • Quais são as suas necessidades, prioridades, preocupações, restrições?
  • Que emoções é que ele pode sentir sobre a situação? Quais são as suas possíveis causas de stress?
  • Dissocio o fundo da forma: se eu ignorar a forma (no caso em que ele era agressivo), a sua observação é legítima, pelo menos parcialmente?

 

3. Cultive a posição + + na vida quotidiana: o advogado do anjo

Uma boa maneira de cultivar a nossa atitude + + é assumindo o papel de ‘advogado do anjo’ numa base diária. Assim, quando surgirem dificuldades, teremos adquirido o reflexo para ver o que é bom no que o nosso interlocutor diz e também nas nossas experiências pessoais.

O advogado do anjo vê “pepitas” em todo os lugares. Isso não significa que ele perca o discernimento e releve tudo de forma indiscriminada. Implica que ressalve o que há de bom numa observação e o que é positivo numa situação.

  • Na recuperação de uma ideia emitida: “O que é ótimo na ideia, é que…”; “O que diz é interessante, porque…”
  • Diante de uma observação negativa: “Levanta um importante ponto de vigilância…”; “O que eu gosto em si, é que sabe sempre como alertar-nos para pontos que podem não passar”
  • Diante de críticas severas: “Obrigado pela sua franqueza. Isso permite-nos tomar consciência de… “
  • Após uma falha pessoal: “O que é positivo na situação é que eu aprendi…” “Pelo menos, seguindo essa experiência, percebi que…”

Uma última nota para terminar: o que é muito bom quando adotamos uma atitude ++, é que invocamos implicitamente os outros a adotá-la também, e isso torna a vida mais agradável!

 


Autora: Pascale Bélorgey

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe