Resiliência – para que serve?

Por o 6 Junho 2017

Resiliência define-se como a capacidade que uma pessoa tem para lidar com os problemas com que se depara, adaptar-se às mudanças no ambiente e resistir à pressão perante situações adversas. Vejamos com maior detalhe este tema…

Todo o indivíduo é, com maior ou menor frequência, confrontado com situações imprevistas que exigem uma capacidade apurada para lidar com obstáculos e superar dificuldades. É-lhe requerida uma forma de recuperar o equilíbrio na instabilidade e impor de novo a ordem.

 

Resiliência

Luis Rojas Marcos refere que a resiliência nos seres humanos é “um atributo natural e universal de sobrevivência composto por ingredientes biológicos, psicológicos e sociais.”

A resiliência é, em suma, a capacidade que uma pessoa tem para lidar com os problemas com que se depara, adaptar-se às mudanças no ambiente e resistir à pressão perante situações adversas.

Não se “nasce” resiliente, esta é uma caraterística fomentada a partir das várias interações que o indivíduo experiencia ao longo da vida, dentro dos diversos círculos em que está incluído – família, escola, cultura, meio social, etc.

A resiliência pode ser vista como uma interação complexa entre determinadas características dos indivíduos com o meio ambiente que os envolve.

 

Os 4 pilares da resiliência

Os “pilares da resiliência” atuam como forças em que o indivíduo se apoia para superar e resolver, de forma produtiva e eficaz, a situação adversa com que se confronta.

Estes pilares não são estáticos e variam consoante a identidade psicológica de cada pessoa. De forma geral, é possível identificar quatro forças principais:

1) Autoconfiança

Funciona como suporte para os seguintes. Neste ponto, é imprescindível que o indivíduo se conheça e se aceite, tendo claras na sua mente as metas que pretende atingir.

2) Proatividade

Capacidade de antecipar e desenvolver iniciativas. Importa que o indivíduo se desafie constantemente, aceitando as consequências positivas, mas também as negativas, retirando-lhes alguma lição.

3) Relacionamento interpessoal

Manutenção de uma atitude positiva nos relacionamentos. A empatia é um conceito-chave para este pilar, dado que a resiliência, como dito anteriormente, tem por base as relações e interações estabelecidas ao longo da vida de cada um.

4) Aprendizagem contínua

Recetividade, flexibilidade e perseverança são os três elementos que põem em prática o aperfeiçoamento das capacidades, traduzindo-se numa aprendizagem contínua.

 

Porquê ser resiliente?

Boris Cyrulnik[1] aborda a resiliência a partir de uma metáfora interessante:

Uma pérola é o resultado da reação da ostra à agressão de um grão de areia e, tal como a ostra tem a capacidade de transformar um áspero grão de areia em algo valioso, também o ser humano perante um acontecimento marcante e sofrido, poderá descobrir capacidades até então desconhecidas e revelar uma enorme força perante situações que à partida só poderiam conduzir à fraqueza.

Deste modo, a utilidade da resiliência na vida quotidiana é evidente, uma vez que nos permite retirar algo de bom de situações que, à partida, nos levariam ao insucesso.

 

Características das pessoas resilientes

O indivíduo resiliente concilia caraterísticas específicas, tais como uma boa autoestima, aptidão para encontrar aspetos positivos mesmo em situações desagradáveis, autonomia, empatia, capacidade de adaptação.

Consegue manter-se sereno em situações de stresse e pressão, e conserva uma relativa estabilidade emocional, não cedendo a impulsos. Regra geral, são pessoas otimistas, responsáveis e flexíveis.

Veja aqui alguns exemplos de pessoas resilientes.

 

E você, é resiliente?

 

Consulte a Formação Resiliência – Superar dificuldades com pró-atividade e uma atitude positiva.


[1] Boris Cyrulnik é um neurologista, psiquiatra e psicanalista. Foi um dos fundadores do Grupo de Etologia Humana e dirige um grupo de investigação na Faculdade de Medicina de Marselha. Parte da sua obra incide, precisamente, no estudo da resiliência, em particular com o livro “Resiliência: Essa Inaudita Capacidade de Construção Humana”.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Avatar

Dilson Ferreira Desde 3 anos

Bom dia gostei do artigo publicado

Resposta
    Vera Borges

    Vera Borges Desde 3 anos

    Obrigada pelo comentário Dilson. Continue a ler os nossos artigos!

Vera Borges

Vera Borges Desde 3 anos

Olá Priscila,

Obrigada pelo seu comentário. A resiliência é, sem dúvida, uma competência fundamental, assim como a inteligência emocional. Espero que possa continuar a seguir as nossas publicações!

Resposta

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe