Desenvolver soft skills para o futuro

Por o 2 Outubro 2020

Há alguns meses fomos repentinamente “empurrados para fora” das nossas rotinas e vimo-nos confrontados com a necessidade de criar novos hábitos e formas de interagir com familiares, amigos e colegas de trabalho. Este contexto exigiu-nos a perícia e a audácia de, porventura nunca como antes, aplicarmos e desenvolvermos um conjunto de soft skills que deixaram de ser uma exigência futura, para passar a ser uma necessidade imediata e atual: a colaboração remota, a comunicação digital, a agilidade e adaptabilidade, a criatividade e sentido de inovação, o espírito de iniciativa e empreendedorismo, a organização eficaz do trabalho e a capacidade de (re)aprender a aprender.

 

 

Inesperadamente fomos confrontados com a necessidade de liderar equipas dispersas e remotas, de pôr à prova a nossa capacidade de resiliência e a nossa organização e gestão de tempo, quando nos deparámos com a necessidade de conjugar um contexto familiar atípico com uma atividade profissional exigente. Surge agora um novo cenário, pós-COVID-19, onde teremos de enfrentar um período de crise económica, no qual se adivinha um incremento substancial de práticas de Smart Working e um contínuo crescimento da utilização de plataformas digitais como meio para desenvolvermos a nossa atividade profissional: um contexto cada vez mais digital e à distância que requer, mais do que nunca, uma aposta continuada no desenvolvimento de soft skills e na aprendizagem ao longo da vida.

E se muitos de nós fomos “obrigados” a desenvolver uma literacia digital através da prática, é chegado momento de (re)pensarmos como podemos aproveitar e desenvolver o know-how adquirido e as potencialidades da digitalização para continuar a aprender, melhorar e superar metas pessoais e organizacionais.

 

As soluções digitais de aprendizagem, que continuarão em forte expansão, são uma excelente alternativa!

Acessíveis através de qualquer dispositivo, estas soluções são flexíveis: ajustam-se às necessidades e interesses pessoais bem como a diferentes horários. Mas há que fazer escolhas e investimentos acertados, pois como a experiência já muitas vezes lhe terá provado, o conhecimento de pouco vale se não for capaz de o colocar em prática!

Para ser capaz de responder a contextos cada vez mais desafiantes opte por soluções digitais de aprendizagem compostas por diferentes módulos digitais interativos e dinâmicos, que contemplem exemplos e exercícios, facilitando a sua aprendizagem. Assegure-se que esses percursos fomentam momentos de interação humana com outros participantes, formadores e especialistas, através de Classes Virtuais, fundamentais na promoção de troca de experiências e partilha de conhecimento. E acima de tudo, se quer estar cada vez mais preparado para os desafios futuros, verifique se o percurso eleito o apoia e incentiva à transferência da aprendizagem para o seu contexto de trabalho, através de desafios concretos, planos de ação e um acompanhamento próximo de formadores, tutores, mentores e outros atores organizacionais (colegas, chefias…) que em muito o podem apoiar na aplicação efetiva do conhecimento e, como tal, numa melhoria significativa da sua performance.

Lembre-se, a crise pela qual ainda estamos passar, e os próximos meses, continuarão a colocar-nos, indivíduos e organizações, à prova. Continue a (re)aprender para se preparar para novos desafios, realidades e até mesmo novas mudanças abruptas e inesperadas que possa ter de enfrentar.

 

*Este artigo foi originalmente publicado no Dinheiro Vivo.

Para saber mais sobre este tema, recomendamos a formação CEGOC Resiliência

/5 - Voir tous les avis

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe