Pare, pense e escolha… estrategicamente e não ao acaso!

Por o 7 Setembro 2016

No contexto profissional, a nossa missão fundamental consiste em fazer escolhas em função do valor que as atividades acrescentam à Organização e não em função da cronologia dos acontecimentos. Para fazer escolhas estratégicas, propomos-lhe o “Foguetão dos Objetivos”, uma metodologia Cegos®, que lhe permite orientar as suas ações para um Propósito específico.

Pare, pense e escolha… estrategicamente e não ao acaso! (parte 1)

 

A sensação de não termos tempo suficiente…

blog-dpp-relogio

Uma das principais causas do stresse está relacionada com a sensação de não termos tempo suficiente para gerir todas as nossas tarefas. Diariamente, somos confrontados com uma grande variedade de solicitações, de diferentes interlocutores, para as quais nem sempre temos resposta e nem sempre nos sentimos capazes de lidar. Estas solicitações estão relacionadas com os vários papéis que exercemos na nossa vida: o papel de profissional, de elemento de uma equipa, mas também o papel de cidadão/cidadã, marido/mulher, pai/mãe, desportista…

Estas constantes solicitações suscitam em nós um sentimento de urgência: parece que todos os que nos rodeiam, tanto na vida profissional como pessoal querem “tudo e para já!“, tornando-se difícil manter o distanciamento para estabelecer prioridades e dedicar-lhes o tempo necessário.

 

Fazer escolhas em função do valor das atividades!

É certo que o tempo tem um desenrolar cronológico, mas, no contexto profissional, a nossa missão fundamental consiste em fazer escolhas em função do valor que as atividades acrescentam à Organização e não em função da cronologia dos acontecimentos. Para fazer escolhas estratégicas, propomos-lhe o “Foguetão dos Objetivos”, uma metodologia Cegos®, que lhe permite orientar as suas ações para um Propósito específico:

 

blog-dpp-foguetao

PROPÓSITO

A explicitação e consciencialização do propósito tornam a sua missão mais clara, contribuem para uma tomada de decisão quanto às verdadeiras prioridades e permitem que faça a distinção entre o que é prioritário e urgente.

  • Responde à pergunta da utilidade da sua função na Organização: Qual é a finalidade da minha função?”, “Em que medida a minha função gera valor?”.

 

ÁREAS DE CONTRIBUTO

São os elementos que definem a dimensão operacional do propósito da sua função.

  • Respondem às perguntas: “Quais são as minhas principais responsabilidades?”, “Quais as atividades que eu tenho de realizar pessoalmente?”.

 

ATIVIDADES

Definem as suas ocupações de tempo. Por exemplo: 30% dedicado à área da Qualidade, 30% à área Comercial, 20% à área Administrativa, etc.

 

TAREFAS

São as ações que vai implementar e que orientam a sua agenda.

  • 9h tarefa A
  • 9h30 tarefa B
  • 11h00 tarefa C

 

A descrição e análise das atividades da nossa função, bem como a clarificação do seu Propósito, permitem-nos investir a nossa energia e direcionar o nosso esforço para atividades estratégicas, que criam valor e que contribuem para sermos eficazes.

 

Hoje, proponho-lhe que construa o seu “Foguetão dos Objetivos” e que reflita sobre as seguintes questões:

  • Quanto tempo dedico a cada uma das minhas atividades?
  • Estrategicamente, quanto tempo deveria dedicar?
  • A distribuição que faço do tempo pelas minhas atividades está alinhada com o propósito da minha função?

 

Experimente construir o seu “Foguetão dos Objetivos” e veja até onde este o pode levar. Partilhe a sua experiência connosco! Qual o seu objetivo relativamente à gestão do seu tempo? Lance-nos uma questão.

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe